666: Desvendando o verdadeiro significado do ‘número da besta’ e outros mitos do Apocalipse

O que a Bíblia diz sobre esse assunto? Leia no final da reportagem da BBC

"Livro da revelação" descreve fim dos tempos

“Livro da revelação” descreve fim dos tempos

Dragões, cavalos com cabeça de leão e cordeiros com sete olhos. Essas são algumas das visões do Apocalipse – uma palavra que vem do grego antigo “revelação” e é descrita no último, mais estranho e mais controverso livro da Bíblia cristã.

O “livro da revelação” consiste em uma série de visões que seriam uma profecia do fim dos tempos. Foi usado ao longo da história para explicar desastres que vão da peste ao aquecimento global, passando pelo acidente nuclear de Chernobyl.

Algumas figuras e palavras conhecidas, como por exemplo Armagedom, também vêm do Apocalipse, embora nem todos saibam disso. E o livro tem diversas influências em livros, cinema e música até hoje.

Mas, quando João escreveu o livro, no século 1, ele não estava apenas querendo explicar acontecimentos futuros.

Alguns acadêmicos acreditam que ele usava códigos e símbolos para alertar os cristãos da época sobre a adoração ao imperador de Roma e lançar um ataque ao poderoso regime.

Juízo Final em quadro de John Martin; Deus aparece no trono e, à esquerda, as forças de Satã são derrotadas. Image copyright Alamy

Juízo Final em quadro de John Martin; Deus aparece no trono e, à esquerda, as forças de Satã são derrotadas. Image copyright Alamy

O “número da besta” – 666 – é, talvez, a referência mais famosa do Apocalipse. O trecho que o cita diz: “Quem tiver discernimento, calcule o número da besta, pois é número de homem, e seu número é 666”.

Até hoje, 666 é usado para falar sobre a imagem do mal. Mas qual seria o significado por trás dele?

Era comum, na Antiguidade, usar números para disfarçar um nome. Nos alfabetos grego e hebraico, toda letra tem um número correspondente. Então, se você somasse todas as letras do seu nome, você tinha um código numérico.

O professor Ian Boxall, da CUA (Catholic University of America), dá um exemplo com Anna.

Na Antiguidade, era costume disfarçar nomes substituindo-o por números. Image caption

Na Antiguidade, era costume disfarçar nomes substituindo-o por números. Image caption

“A” vale 1 e “N” vale 50. Anna, então, seria 102.

Se você escrever o nome do imperador Nero Cesar no alfabeto hebraico, a equação fica: 200+60+100+50+6+200+50=666.

Em números, nome do imperador Nero Cesar vira 666. Image caption

Em números, nome do imperador Nero Cesar vira 666. Image caption

Historiadores acreditam que a perseguição de Nero a cristãos em Roma fez com que ele fosse uma figura odiada pelos primeiros cristãos.

Outros mitos

Diversos outros mitos conhecidos vêm do Apocalipse – e têm relação com a situação de Roma na época.

Nem todo mundo sabe, por exemplo, que Armagedon vem da Batalha do Armagedon, descrita no livro. O nome Armagedon é baseado no nome do Megido, um monte que hoje fica em Israel.

Segundo estudiosos, “ar” (ou “har”) significa monte em hebraico, e “magedom” (ou “magedo”) equivale a Megido. Na época de João, o Megido era um sangrento campo de batalha e abrigava uma das legiões mais cruéis de Roma.

Nero pode ter sido odiado por perseguição a cristãos. Image copyright Photos.com

Nero pode ter sido odiado por perseguição a cristãos. Image copyright Photos.com

A batalha do Armagedom é uma luta entre o bem o mal – Deus e Satã – durante os últimos dias do mundo.

Já os cavaleiros do Apocalipse são quatro homens, em cavalos nas cores branca, vermelha, preta e verde. Eles soltariam no mundo a morte, guerra, fome e conquista, representando a violência resultante de escolher não seguir a palavra de Deus – a Roma imperial.

Outra imagem famosa do livro é a da besta do apocalipse e suas sete cabeças, que emerge do oceano e exige ser adorada. O nome de uma blasfêmia está escrito em cada uma das suas cabeças.

Cavaleiros do Apocalipse retratados em Bíblia de 1522. Image copyright SPL

Cavaleiros do Apocalipse retratados em Bíblia de 1522. Image copyright SPL

A besta seria Roma, e suas cabeças representariam os sete imperadores que a Roma antiga havia tido naquele tempo. Os nomes de blasfêmias representam a tendência dos imperadores romanos de se chamarem de deuses.

Influências

Até hoje, o Apocalipse tem influência na cultura a aparece em várias referências modernas.

Entre os filmes que fazem referência a ele estão O Sétimo Selo (1957), Fim dos Dias (1999), Filhos da Esperança (2006) e É o Fim (2013) – todos usam a imagem do fim do mundo.

Na literatura, estão entre os exemplos best sellers como a série Deixados para Trás (1995), O Nome da Rosa, de Umberto Eco (1980) e Revelação, de CJ Sansom.

Muitos músicos, de compositores clássicos a bandas de heavy metal, foram influenciados por temas da revelação.

O Iron Maiden batizou seu disco de 1982 de The Number of the Beast (O número da besta), enquanto o álbum do Muse de 2006, Black Holes and Revelations, traz os Cavaleiros do Apocalipse na capa.

http://www.bbc.com

Pergunta: “O que é a marca da besta (666)?”

Resposta: A passagem principal na Bíblia que menciona a “marca da besta” é Apocalipse 13:15-18. Outras referências podem ser encontradas em Apocalipse 14:9,11; 15:2; 16:2; 19:20; 20:4. Essa marca age como um “selo” para os seguidores do anticristo e o falso profeta (o porta-voz do anticristo). O falso profeta (a segunda besta) é aquele que leva as pessoas a aceitarem essa marca. Essa marca é literalmente colocada na mão ou na testa, e não é apenas um cartão que alguém carrega.

Os progressos recentes em tecnologias médicas para implantar chips têm aumentado o interesse na “marca da besta”, a qual é mencionada em Apocalipse capítulo 13. É provável que a tecnologia que hoje vemos representa os primeiros passos do que pode eventualmente se tornar a “marca da besta”. É importante que saibamos que um chip médico implantado não é a marca da besta. A marca da besta será algo dado apenas àqueles que louvam o anticristo. Ter um microchip médico ou financeiro inserido na sua mão direita ou testa não é a marca da besta. A marca da besta vai ser uma “marca” do fim dos tempos exigida pelo anticristo para comprar ou vender e será dada apenas àqueles que adoram ao anticristo.

Muitos expositores bons do livro de Apocalipse têm tido opiniões bastante diferentes sobre o que exatamente a marca da besta é. Além da opinião de uma “carteira de identidade”, outros têm especulado que é um micro-chip, um código de barras que é tatuado na pele, ou simplesmente uma marca que identifica alguém como sendo fiel ao reino do anticristo. Essa última opinião exige menos especulação, já que não adiciona mais informação ao que a Bíblia nos diz. Em outras palavras, qualquer uma dessas ideias é possível, mas ao mesmo tempo são apenas especulações, então teremos que esperar e ver o que acontece. Não devemos perder muito tempo especulando sobre detalhes que vão além do que a Bíblia diz.

O significado de 666 também é um mistério. Recentemente, muitas pessoas especularam que havia uma conexão a 6 de junho de 2006 – 06/06/06. No entanto, de acordo com Apocalipse capítulo 13, o número 666 identifica uma pessoa, não uma data. Apocalipse 13:18 nos diz: “Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis”. De alguma forma, o número 666 vai identificar o anticristo. Por séculos, intérpretes da Bíblia têm tentado identificar certos indivíduos com 666. Nada é conclusivo. Por isso Apocalipse 13:18 diz que o número requer sabedoria. Quando o anticristo for revelado (2 Tessalonicenses 2:3-4), vai ser claro quem ele é e como o número 666 o identifica.

4 Responses to 666: Desvendando o verdadeiro significado do ‘número da besta’ e outros mitos do Apocalipse

  1. Wagner Antonio de Araújo disse:

    Pastor Norberto, informe qual a opinião do tele-fé sobre o Apocalipse. Senão, pela manchete e chamada, entenderemos que vocês consideram MITO a REVELAÇÃO de coisas em Apocalipse.

  2. eduardo disse:

    bom dia irmãos, vcs poderiam me esclarecer uma dúvida ? em 2011 eu estive afastado do evangelho. logo em seguida entrei para o mundo do ocultismo, e fiz um ritual da chamada abertura do terceiro olho. (( OLHO DE HORUS )) em outro determinado ritual, que eu tive que fazer, o ” mestre ” mandou que eu tocasse com o dedo direito na testa, para receber a marca de (( MAITREYA )) esse é um dos candidatos a anticristo mais fortes que existe na atualidade !!!! eu por descuido fiz como o “”” mestre “”” mandou, toquei a testa com o dedo direito p receber a marca de MAITREYA, e seus poderes mentais !!!! 1 ano depois retornei ao evangelho, para novamente ter comunhão com (((((((DEUS ))))))) sofri ataques de todas as formas de demonios, não me deixavam dormir, apareciam em meus sonhos todos os dias, falavam em minha cabeça que minha salvação está perdida, amostravam me o inferno, quase enlouqueci com tantas perturbações !!! eles me diziam que eu já estou marcado com a marca do anticristo e minha salvação está perdida ! se (( MAITREYA )) for mesmo o anticristo, eu já perdi a minha salvação ?!!!! agradeço muito a respostas dos irmãos

    • Indianara Santigo disse:

      Boa Noite Eduardo. Seguinte, eu sou apenas uma jovem que cresceu em um lar cristão, não entendo muito sobre outras religiões, mas em meus 22 anos de cristã, eu sei que o nosso é único Deus é misericordioso, como Lutero falou, que se você se arrepender profundamente de seus pecados Deus irá te receber de braços abertos, então minha opinião, acredito que a marca da besta vem para você ao negar o cristianismo, você “recebeu” talvez uma legião de Demônios, por isso de seus pesadelos e perturbações, mas a marca da besta não está em você, pois você voltou a Cristo, você não está negando a Ele, e essas perturbação é somente para confundir sua cabeça!
      Espero profundamente ter ajudado, e buscar a Deus e orar e jejuar para que esses demônios param de te perturbar! Que a Paz do Senhir esteja com você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *